Um em cada três homens tem algum sintoma definidor de ejaculação precoce, no entanto, ainda é grande a resistência masculina em procurar auxílio médico, o que pode afetar negativamente sua qualidade de vida e sua relação conjugal.

Ejaculação precoce é sinônimo de ejaculação rápida e definida, segundo a International Society for Sexual Medicine (ISSM) como uma ejaculação rápida, sem controle, ocorrendo aos mínimos estímulos sexuais e, principalmente, com prejuízo na qualidade de vida e na atividade sexual do paciente.

Importante lembrar que, apesar da definição de que a ejaculação que ocorre antes de um minuto de penetração é precoce, apenas homens que acreditam ter prejuízo em sua atividade sexual, ou insatisfação da parceira têm indicação de algum tipo de tratamento. Agende já sua consulta.

Não se sabe ao certo qual a causa da ejaculação precoce. Existem, no entanto, duas teorias elaboradas que podem estar, em conjunto, presentes na maioria das pessoas acometidas:

1. Causa psicogênica, ansiedade de desempenho e inexperiência sexual

Pacientes mais ansiosos apresentam maiores índices de ejaculação precoce. A EP também pode afetar pacientes com depressão ou transtorno bipolar. Além disso, pacientes em seu início de sua atividade sexual ou com ansiedade de desempenho para com uma nova parceira, podem apresentar descontrole da ejaculação. Mesmo pacientes mais maduros, quando diante de fase de maior estresse ou preocupação, podem apresentar descontrole com ejaculação precoce.

2. Hipersensibilidade peniana

Pacientes com o diagnóstico confirmado de ejaculação precoce tem uma sensibilidade peniana associada com estímulo vibratório maior e isso pode ser responsável diretamente pelo descontrole associado com a EP. Homens com excesso de pele no pênis, conhecida como pele do prepúcio, muitas vezes possuem irritações na cabeça do pênis que aumentam a sensibilidade local e consequentemente estão associadas também com EP.

Baseado nas possíveis causas da ejaculação precoce, o tratamento padronizado tem que ser multicausal, analisando o paciente por um especialista médico, que realizará exames subsidiários.

1. Antidepresivos

Atualmente, o uso de antidepressivos orais, em dose baixa, de forma contínua ou intermitente é o tratamento com maiores taxas de sucesso. Estão contra-indicados em pacientes com antecedentes de transtorno bipolar ou esquizofrenia. Trabalhos mostram que após um período de tratamento com essa classe de medicamentos, em media 6 a 12 meses, os homens podem manter o padrão de ejaculação mais demorada, mesmo após cessar o uso do medicamento, o que pode estar relacionado com o ganho de auto-estima e confiança durante o uso de medicação. Ou seja, o medicamento os deixa mais seguros e com isso conseguem levar a frente uma vida normal sem medicações.

2. Pomadas anestésicas

A aplicação de pomadas anestésicas na glande pode melhorar a desempenho sexual daqueles pacientes com hipersensibilidade peniana. Apresenta razoáveis taxas de sucesso, associados a poucos inconvenientes de aplicação e manuseio. Devem sem aplicadas 20 minutos antes do ato sexual

3. Terapias comportamentais

Existem técnicas de compressão da glande do pênis poucos segundos antes do orgasmo que podem, com seu uso prolongado, aumentar o intervalo de tempo entre a penetração e a ejaculação, com moderada eficácia. Muitos usam o termo: jogos amorosos como sinônimo da mudança de comportamento que o casal deve tentar para se combater a ejaculação precoce: o casal deve procurar evitar que a penetração ocorra rapidamente, prolongar as preliminares e fazer com que o homem, com isso, relaxe e se sinta mais seguro, para depois tentar penetrar e ter uma relação mais prolongada. O problema do homem com ejaculação precoce é que ele quer penetrar rápido, pois tem medo de gozar antes da hora e por isso quer aproveitar e já penetrar. Mas esse comportamento piora mais ainda a situação.

4. Psicoterapia

A psicoterapia tem seu valor em qualquer modalidade terapêutica escolhida pelo especialista e pode inclusive ser utilizada com única modalidade como terapêutica complementar para os pacientes muito ansiosos com ejaculação precoce.

Diagnóstico da ejaculação Precoce

Antes de oferecer a melhor opção de tratamento para o seu problema, é necessário diagnosticá-lo corretamente. Por isso, no Boston Medical Group fazemos um exame físico completo que pode incluir:

• Uma história clínica e sexual minuciosa.
• Exame do fluxo sanguíneo no pênis através de ecografia Doppler.
• Estudo das fibras nervosas através de bioestesiometria.

Estes procedimentos são indolores e permitirão ao médico diagnosticar a causa e a magnitude do problema, para então lhe oferecer as opções de tratamento mais convenientes.

Mais informações (conteúdo em inglês);

Medline Para
Clínica Mayo